Operação Secos e Molhados descarta 623kg de produtos na Zona Norte e em São Gonçalo

Operação Secos e Molhados descarta 623kg de produtos na Zona Norte e em São Gonçalo

Somente no Supermarket localizado na Estrada Raul Veiga, 237, em Alcântara, São Gonçalo, foram descartados 228kg de alimentos impróprios

O Procon Estadual, ligado à Secretaria de Estado de Governo, realizou, nesta quarta-feira (24/08), uma nova etapa da Operação Secos e Molhados. Foram autuados todos os oito mercados fiscalizados na Zona Norte da cidade do Rio e em São Gonçalo. Os fiscais descartaram 623kg de alimentos impróprios ao consumo.

Somente no Supermarket localizado na Estrada Raul Veiga, 237, em Alcântara, São Gonçalo, foram descartados 228kg de alimentos impróprios ao consumo entre carnes, salgados e embutidos. Alguns estavam fora de refrigeração e sem proteção contra poeira e sujeira. O estabelecimento não possuía alvará de funcionamento e os certificados de potabilidade da água e de dedetização. Além disso, três queixas foram encontradas no Livro de Reclamações do estabelecimento que não tinham sido enviadas ao Procon Estadual no prazo legal.

Já o Super Prix da Rua Lucídio Lago, 292, no Méier, 187 kg de produtos foram descartados, sendo desses, 180 kg de costela bovina vencida. Havia quatro registros no Livro de Reclamações que não tinham sido enviados no prazo legal para a autarquia. O mercado não possuía caixa preferencial, como determina a lei, e nem certificado de potabilidade da água.

Balanço da Operação Secos e Molhados

1 – Prezunic (Rua Dias da Cruz, 579 – Meier): Divergência de prazo de validadeestipulado entre a embalagem do fabricante e da bandeja ofertada. Prazo dado a maior para linguiça e salsicha. Ausência de caixa preferencial na forma da lei.

2 – Super Prix (Rua Lucidio Lago, 292 – Meier): Produtos vencidos: 180 kg de costela bovina; 4 kg de queijo. Produtos sem especificação: 2kg e 600g de bacalhau. Havia quatro registros no Livro de Reclamações do Procon não enviadas no prazo legal. Ausência de caixa preferencial na forma da lei. Ausência do certificado de potabilidade da água.

3 – Supermercado Extra (Rua Dias da Cruz, 371 – Meier): Ausência de número suficientes de caixas preferências disponíveis, de acordo com a lei. Pescado exposto à venda em contato direto com o gelo sem autorização do órgão público. Pescado exposto em balcão de venda sendo manipulados pelos consumidores.

4 – Guanabara (Rua Adolfo Bergamini, 113 – Engenho de Dentro): Produtos vencidos: 21kg de mortadela e 2kg e 500g de arroz com tomate e manjericão. Caixa preferencial em número abaixo da norma legal.

5 – Supermarket (Est. Raul Veiga, 237 – Alcântara): Ausência de alvará de funcionamento. Ausência do certificado de potabilidade. Ausência do certificado de dedetização. Produtos sem especificação e em contato direto com os consumidores: 70kg e 800g de costela salgada; 38kg e 600g de linguiça calabresa;13 kg de bacalhau; 36 kg de barriga; 7kg e 400g de bacon; 17kg e 400g de linguiça fina; 3 kg de linguiça fina; 39 kg e 800g de costela fora da refrigeração, sem proteção contra poeira e vetores; 2kg e 800g de carne previamente moída. Havia três registros no Livro de Reclamações do Procon não enviadas no prazo legal.

6 – Extra (Est. Raul Veiga, 243 – Alcântara): Ausência de alvará de funcionamento. Ausência do certificado do Corpo de Bombeiros. Ausência do certificado de potabilidadeda água. Produtos sem especificação e em manipulação direta pelo consumidor: 11kg e 500g de corvina;35 kg de sardinha; 12kg e 500g camarão cinza; 46 kg de carré;14 kg de garganta; 14 kg de carne seca; 10 kg de bacon.

7 – Rede Economia (Est Raul Veiga, 2094 – Alcântara): Vencido: 41kg de traseiro serrote e 8kg de carne previamente moída. Foram encontradas peças de linguiça calabresa com a validade do supermercado superior ao indicado pelo fabricante. Os produtos foram recolhidos para regularizar a data. Ausência do Livro de Reclamações. Ausência do certificado de potabilidade da água. Determinada a limpeza imediata e a apresentação do documento em 15 dias. Ausência do certificado de dedetização. Determinado o serviço imediato e a apresentação do documento em 15 dias.

8 – Guanabara (Avenida Jornalista Roberto Marinho, 221 – Mutondo):Ausência do certificado de potabilidade da água. Determinada a limpeza imediata e a apresentação do documento em 15 dias.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *